Discussão sobre as 30 horas semanais é realizada nas unidades acadêmicas e campi avançados

WhatsApp Image 2018-10-17 at 11.13.03 (2)O SINTUFEPE UFRPE realizou visitas na última semana às Unidades Acadêmicas de Garanhuns, Serra Talhada e à Estação Experimental de Parnamirim. Para dar início às reuniões, a direção colegiada distribuiu a nota pública do sindicato a favor da democracia e contra o fascismo e chamou a atenção dos participantes para a importância do voto de cada brasileiro neste segundo turno contra o autoritarismo e o conservadorismo da ultra-direita, representados na candidatura de Jair Bolsonaro (PSL).

Além da discussão sobre a eleição brasileira para presidenciável, outro objetivo do encontro foi repassar os informes da última reunião realizada com a reitora da UFRPE, Maria José de Sena, para tratar das questões referentes à Instrução Normativa nº 2 e às 30 horas semanais com turnos contínuos e sem redução salarial.

Também se debateu a recomposição da Comissão das 30 Horas, que o sindicato defender ser paritária. A reitora afirmou estar de acordo com a sua recomposição, mas deve seguir os mesmos moldes da resolução criadora do processo.

No ponto sobre a Instrução Normativa nº2, alertou-se que em seu Artigo 38 a  universidade poderá adequar tal normativa à realidade local, não sendo obrigada a seguir à risca sua aplicação. Em seguida, foram elencados os problemas inerentes a esta instrução.

Em seguida o espaço foi aberto para questionamentos dos presentes. Após este momento foi feita a apresentação referente aos condicionantes necessários para alcançar as 30 horas e desmistificados os falsos consensos apresentados pelas administrações das universidades brasileiras. Chamou-se atenção para as possíveis adequações na organização da estrutura dos locais de trabalho, de forma que a flexibilização da jornada possa ser alcançada por todos.

WhatsApp Image 2018-10-18 at 11.08.36No caso da Unidade Acadêmica de Serra Talhada (UAST), a reunião foi direcionada aos TAEs que já exerciam as 30 horas semanais e tiveram esse direito cassado recentemente devido à falta de regulamentação quando começou a ser implementada.  Houve um entendimento de que a luta deve envolver o conjunto de todos os TAEs da UAST e outra reunião precisa ser convocada para o próximo mês de forma a garantir a incorporação daqueles que não compareceram.

O encontro em Parnamirim contou também com os terceirizados da estação.

 

 

 


Voltar