Em assembleia histórica, comunidade acadêmica da UFRPE reafirma a luta para barrar os ataques do governo

assembleia-29-de-setembro-2

A atividade que reuniu mais de 200 pessoas fez parte do calendário de lutas rumo à greve geral

Técnico-administrativos, docentes e estudantes disseram NÃO ao corte de verbas na educação pública, à privatização e à precarização do ensino no país. Em Assembleia Unificada realizada na manhã desta quinta-feira (29), na Praça Chico Magalhães, a comunidade acadêmica da UFRPE mostrou sua força e reafirmou que não irá pagar pela crise e nem aceitar os ataques do governo aos direitos trabalhistas e sociais.

A atividade que reuniu mais de 200 pessoas em frente à sede do SINTUFEPE/UFRPE, fez parte do Dia de Paralisação Nacional convocado por centrais sindicais, sindicatos e organizações dos movimentos popular e estudantil. A luta é contra as Reformas da Previdência e Trabalhista, o PL 257, a PEC 241, o Projeto Escola Sem Partido (Lei da Mordaça) e a Reforma do Ensino Médio.

Após o debate sobre a atual conjuntura, a plenária traçou rumos para a construção de uma greve geral para barrar os ataques à classe trabalhadora e derrubar o governo Temer. E para fortalecer ainda mais o movimento que está se formando, foi deliberada a realização de assembleias distintas das categorias no dia 11 de outubro, onde será discutido o indicativo de greve.

Encaminhamentos: 1. Construir a Greve Geral para barrar os ataques aos direitos trabalhistas e sociais; 2. Realização no dia 11 de outubro de assembleias distintas das categorias de técnico-administrativos e professores para debater indicativo de greve com ou sem data; 3. Nota conjunta dos três segmentos em apoio à greve dos bancários e em repúdio à atitude dos bancos de criminalizar os grevistas e o movimento: “Nós, ADUFERPE, SINTUFEPE e entidades estudantis da UFRPE repudiamos o posicionamento reacionário da OAB-PE pela proposição de criminalizar o direito constitucional de greve. Solidarizamos-nos com os nossos camaradas bancários que estão em greve há mais de 24 dias com reivindicações justas visando garantir os direitos historicamente conquistados ao longo de vários anos”; 4. Repúdio à SOL por não permitir que seus funcionários participassem da Assembleia Conjunta; 5. Reunião da Comissão Eleitoral da eleição de diretoria do SINTUFEPE/UFRPE hoje (29) na sede do sindicato, com suporte do ILAESE; 6. Comissão de estudantes para mobilizar o CODAI rumo à Greve Geral; 7. Construção de documento informativo para denunciar os ataques aos direitos sociais e trabalhistas.

Leia também: http://www.sintufepeufrpe.org.br/index.php/em-dia-de-paralisacao-nacional-taes-da-ufrpe-aprovam-estado-de-greve/ 

 

 

 


Voltar